sábado, 10 de Julho de 2010


Estou adormecida no teu amor

Entregue de mãos estendidas

Ao teu mistério de entrega

Encontro um amor renovado

Num encontro predestinado

Desde o inicio do meu ser.



Olho perfume embriagante

Numa entrega absoluta

É magia no olhar e presença divina

Do encontro do verdadeiro apaixonado





Assim é a entrega

Dum casamento para todo o sempre

Onde o tempo não tem limites

e só o amor é a barreira do tempo





O jardim que encontro é num sítio

Onde a alegria predomina

Onde as flores são contínuo crescimento

Nos altares da entrega.







Presença divina que ardes de amor



Assim te sinto aqui pertinho



Queimas todo o meu ser



Onde o calor renasce na verdadeira frescura



Dum alma renovada







Onde os sentidos estão atentos



Ao chamamento daquele que me chama



Onde as portas são abertas e o céu se une a terra












Bálsamo divino que se entrega



Num profundo encontro



São caminhos dispersos mas que levam



Ao único encontro possível



Ai se encontra a verdadeira razão



De tudo que desejamos e tentamos encontrar



Todos os momentos da nossa vida



É assim que se encontra o que jamais



Encontraremos nesta vida



Que só encontramos naquele



Que reside em nós para todos o sempre



Ele da o conhecimento a nos que somos pobres



Porque ele se quer unir perante esta entrega infinita



Ele é o mistério do amor ele é o inicio que leva



Ao fim que estamos destinados para sempre



Estarmos ligados.



Sempre unidos num fim único de entrega e de amor.







O que nos leva a esse encontro?



A sua presença que esta constantemente junto de nós.



O silencio da alma que sente o desejo ardente



De estar perto daquele que queremos adorar e amar











Um jardim onde tem vários tipos de espécies



Todas diferentes mas todas amadas



Assim estamos interligados ao paraíso



Onde os anjos permanecem



Onde a paz predomina



E a harmonia faz parte



Assim são os cheiros divinos



Onde o amor reside sem terminar jamais



Paula Monteiro
Pela estrada da vida, encontra-se muitos obstáculos


Que ferem os nossos pés, se o terreno é macio

Não sentimos as mazelas, pelo contrário,

Até apetece voar na relva e dançar ao vento

Mas se encontramos pedras, se insistirmos

Podemos magoar se formos teimosos.

E a vida continua com as nossas decisões

E com os caminhos que encontramos

Conforme vamos adiante.



Assim como nos fascina o voar para um novo horizonte

Sabemos que o nosso desejo é impossível pelas nossas

Própria capacidade, mas não deixamos de desejar

De voar livremente pelo mais alto céu.

Voar, em direcção de algo que para nós é desconhecido

Corremos por corredores que nos são diferentes

Percorre-se horizontes que nunca pensamos alcançar.



Assim é feita a humanidade de sonhos e de esperanças

Pobre de nós se ela deixar de existir porque nelas

Encontra-se a essência principal da nossa sobrevivência

O amor.



Um amor que nos leva a extremos e a decisões difíceis

Um amor que nos permite seguir adiante

Um amor que leva-nos a ser pessoas melhores

Sim, mas o que é o verdadeiro amor?

Será que nós temos dimensão desse extremo tesouro?





Um amor pronto a se entregar por nós

De dar a vida por nós

De saber como somos miseráveis e mesmo assim

Nos amar e entregar-se por amor.

Assim é o verdadeiro amor, sem condição

Dar e entregar-se porque acredita em nós

E nos ama com um amor incondicional

Assim é o amor do nosso amado

Por todos nós, ele olha ao nosso íntimo

E descobre infinitos tesouros de maravilhas

Onde nós só encontramos misérias

E nele nesse jardim derrama o bálsamo do seu amor

E transforma para uma nova vida,

Para um novo caminho, as vezes cheio das mais macia erva

Outros com pedras pelo caminho mas é ele mesmo que

Faz o tratamento com o seu infinito acto de misericórdia.



Assim é um amor profundo e entregue

Assim nasce uma nascente que desce directo

Do seu amado coração por todos nós.

Quantas vezes sentimos esse amor tão perto



Mas muitas vezes procuramos e não conseguimos

Superar as muralhas que construímos a volta,

Essas muralhas são feitas de pedra,

Um coração que se tornou duro e não sabe amar

Um coração que foi transformado pelas acções humanas

Sim, um coração que precisa do resgate

Da verdadeira vida que emana do coração do salvador

Oh como se soubessem, o amor incondicional que tem ele por todos nós

Oh como se alegraria a nossa maior tristeza com o manjar divino

Que está guardado para os filhos que pedem o seu amor.

Oh como é bom acolher nos braços de quem ama

Como é bom falar com aquele que entende sem uma única palavra

Não precisamos de dicionários e as próprias palavras seriam escassas

Para dizer o significado do bater do nosso coração que é um hino

De amor por todos nós, pela nossa salvação.





Acredito fielmente que esse amor foi entregue também

Por mim a 2000 anos, e que ainda hoje continuamente

Se entrega por mim e por meus pecados,

Ele olha para esta filha com os mesmos olhos que olhou

Para as mulheres por onde passou, sem distinção e sem

Qualquer preconceito, ele ama, porque olha o intimo

De cada um e do que somos feitos, e não das aparências

Exterior que o mundo deseja ensinar-nos a seguir.

Como vivemos num mundo de ilusão

Em que nossos olhos cansados de tantas mentiras

São fechados com cortinas perante o nosso ser

Como seguimos a doutrina daquele que nos distancia

Do verdadeiro acto da salvação que reside só numa

Única verdade, em Jesus.



Quero por outro lado esquecer minhas misérias

E abordar de vem perto o meu sincero louvor

E percorrer os caminhos da intimidade, mais profunda

Como quero esquecer de mim mesma, para que ele

Sim ele, resida no meu pobre coração tão doente

Sim porque ele é salvação e eu preciso do seu único

Remédio que me poderá salvar, até a intimidade.



Jardins, quero percorrer junto do palácio do rei

Onde eu sou a sua devota serva até a sua vinda,

Vinda de algo que não está ao alcance de todos

Mas que ele como é bom quer dar essa graça

E espera que todos voltem para a verdadeira salvação



Por isso vivemos tempo de mudança no nosso íntimo

Tempo que permite decidir nossos gestos e nossas entregas

Tempo, que muda os corações e muitas vezes tão cheio de espinhos

Sim espinhos que brotam do nosso ser, que emana um doce aroma

Do jardim do rei, onde os servos residem na esperança da sua vinda.





Sou uma flor, uma flor que precisa do brilho do sol

E da mais pura agua que brota da principal nascente

Que restabelece e cura, as mazelas da vida.

Sou espinhos mas também sou perfume que emana

Doce e suave, que fica no horizonte do jardim

Que se perde em labirintos profundos de amor.



Esperança de uma nova aurora uma nova vinda

Algo que a humanidade não consegue sequer imaginar

A vinda daquele que é e será, aquele que reside e será único

O inicio e o fim que será para sempre

Assim algo que transcende a mente humana.

Por isso não devemos deixar de acreditar

E de andar em frente pelos mistérios insondáveis

Daquele que nos olha e está junto de nós.

Permanecer desperto e acordado para a nova aurora

Que ele não nos encontre afastado e cegos por algo

Que não nos leva ao verdadeiro encontro que reside

Na verdadeira salvação, ele abre a porta do nosso ser

Mas somos nós que temos que dar a permissão

Para abrir a porta do nosso coração.

Paula Monteiro

sexta-feira, 9 de Julho de 2010

Um verdadeiro adorador é aquele que se mergulha

No chão e se eleva ao céu para entrar no santuário

Do nosso coração, rasgar o nosso viver e proclamar

Que ele reside no nosso ser mesmo muitas vezes sem entender.

Engrandecer aquele que reside em nós

Amar sem mesmo ter a esperança de um dia ter um olhar

De amor e perdoar sem parar

Um adorador é caminhar mesmo que nossas pernas

Estejam fracas e pedir aos anjos que nos dêem a força

De tornar viver, virado de coração entregue ao céu

E nos teus braços querido

Canto ao senhor de toda a glória

Glória ao amado aquele que minha vida não tem sentido

Sem sua força, sem a sua chama de amor

Paula Monteiro

sexta-feira, 18 de Junho de 2010



Sou peregrina do amor


Peregrinamos neste mundo


Em direcção do altar


Refugio do meu coração


Suspiro do meu olhar


Contemplo as maravilhas


Que não escassam de entrar


Peregrina do amor


Peregrina da fé


Juntos com Maria


Caminhamos para a salvação


Onde o jardim cresce


As flores renascem


Onde o jardineiro é o rei


E o sol a salvação.


As almas são as flores


Que irão enfeitar


O altar do salvador


Somos peregrinos do amor


Onde a mãe é guia


Dos nossos passos


Em cada dia


Sejam eles quais forem


Somos peregrinos do amor

Paula Monteiro
Bendita a santa eucaristia



Que ilumina o meu ser


Benditos os sacrários do mundo


Pois deles surge a luz do meu ser.


Bendita a eucaristia


Salvação do meu ser


Que poderei eu fazer sem ela?

Nada poderei encontrar

Se a salvação reside ali

Tenho sede de contemplar

A majestade a plena alegria do meu ser

Eucaristia, meu bem, meu tudo

Minha ânsia do alcançar


Como poderei abraçar o mundo


Se é vos que procuro abraçar


Só o poderei fazer se estiver unida


Ao teu altar meu bem, meu tudo


És a plenitude do alto


És a satisfaçao do meu olhar


És sim aquele que procuro

Hóstia viva, majestade sublime

Que alegria te olhar

Como posso eu te olhar?

Serei eu digna de te alcançar


Sim sou sim, porque o meu rei


O meu tudo desce


Perante a miséria desta sua filha


E a abraça com o seu olhar

Meu tudo, meu bem, meu querido

E assim que quero permanecer

Ser carmelita do amor

Ser pobre de bens mas rica de amor


E assim que desejo estar


Nesta vida, te contemplar no


Maior gesto sublime da adoração.

                                                              Paula Monteiro

Nada sou sem teu amor


Nada posso sem a tua mão perante nós


Com a tua graça eu aspiro


Pela tua misericórdia


Que seria de mim sem o teu Espírito


Nada sou, como é bom cantar


Sentir a minha fraqueza sem ti


Como é bom ver a nossa fragilidade


Que só contigo eu sou


Sem ti nada sou


Vou olhando minha vida


Sempre contigo eu caminho


Mesmo nos momentos que não te sinto


Aí és tu senhor que me conduzes


Que diriges todo o meu ser


Palavra maravilhosa, no encontro do amado


Que amor sublime, que amor belo


O pouco que te dou eu consigo vencer


Porque tu és a minha força e venço em ti


Como posso eu imaginar minha vida sem ti


Porque mesmo nas minhas fraquezas


Tu és fiel, mesmo quando eu não o sou


Oh querido amado permanece igual


Junto de mim.


Tu senhor és fiel a minha vida


Sempre serás, ensina-me a ser também


Senhor põe teus olhos e que eu seja como tu


Amado esposo adorado.

                                          Paula Monteiro

Que maior alegria o Amor



Razão esta que não nos deve levar a temer



Porque quando sai do coração



Sentimento mais belo e mais puro



Amar é deixar-se ser amado



Contemplar para ser contemplado



Perdoar para ser entendido



Escutar para entender



Dar para se receber



Sorrir com vontade de chorar



Não condenar mas tentar aceitar



A razão daquilo que te acontece



Não temer e continuar a percorrer o caminho



E não penetrar no esquecimento



E rezar quando se quer fugir



É aceitar sem entender



É dizer o sim de Maria



É amar sem parar



É sorrir para a vida



Aceitar a vontade do pai na nossa vida



E deixar ele te guiar



Como cego estivesses mas confiante na direcção



Em cada momento do teu viver



É dizer com amor



Na alegria, na tristeza, na dor



Amo-te meu Pai



Eu confio em ti.

  Paula Monteiro

Sonhar com a paz



Neste novo amanha de alegria



E de ternura



Neste sorriso de amar



E contemplar-te



Quero viver



E amar sempre contigo no olhar



E sorrir este sonho de ondas de mar



E na espuma dessas ondas navegar



Nesse oceano de esperança



Em cada momento



Em cada certeza em cada ternura



De estar aqui presente



Intimidamente e sonhar



Sem receio de o fazer



E de voar neste sonho que é poesia



Ser assim como livre e pequena



Em irradiar este fogo



Penetrantes em mim



Ser essa brisa confortante



Essa paixão viva em mim.

Paula Monteiro

Quantas vezes olhei

E percorri esses corredores

Ansiosa para te ver

Decidi ir e rasgar

O meu sentir e percorrer

Este oceano que há em mim

Nadar todas as ondas

Que me foram postas no caminho

Percorrer por todos os seres

Que encontrar no meu caminho

E olhando a volta

E ao me encontrar no meu caminho

E olhando a volta

E ao me encontrar me aconteceu

Ficar a pensar e perguntar o que faço eu?

Que nado e percorro

Com esse extremo amor


Sendo eu essa gota

Tão pequena, nesse imenso oceano

Cheio de gotas nesse mar

E ansiosa fiquei ali

E numa estrela parei

E me deixei acolher nesse abraço de paz

E amor para não desistir

E deixar ele cuidar

Dessa gota derramada

Para todo o sempre.



                                                            Paula Monteiro
Queria bendizer com minha alma a ti Senhor,


Bendizer mas não existe palavras

Porque a tua grandeza e sublime para o meu pobre vocabulário

Só em ti e contigo eu poderei semelhar aos serafins

Que te adoram dia e noite com cânticos intermináveis

Queria que as portas se abrissem para estar ai

No céu junto de vos

Quão belo momento, estar irradiada da tua paz

E da tua tranquilidade

Do bálsamo refrescante que consome meu coração

Sim quero te adorar, adorar a ti senhor

Mais do que tudo na minha vida

Mas também quero unir no coração todos

Que estão ligados ao meu coração

E que são tantos senhor, de vários lados

Como queria abraçar a todos e amar senhor

só em ti, só contemplando o teu amor

Eu aprenderei com o verdadeiro mestre

No silêncio da minha alma abranjo

A tua voz suave que serena minha alma

Adoro-te senhor, adoro-te senhor

Quero amar para ser amada

Esse é o verdadeiro mistério

O amor

Perdoar para ser perdoada

Como é tão gratificante a semente da caridade

No meio de nos, como é tão bom

Ser cega e deixar guiar meus paços

No caminho da vida.



Cega de amor, de puro amor

É assim que meu coração está repleto

De ternura e de teu amor                                                                  Paula Monteiro
Quero irradiar no teu amor


Ser perfume na tua casa

Quero penetrar no ritmo do teu coração

E nele habitar para todo o sempre

Fazer ninho nele, e nada levar

A não ser a mim,

Para tu meu amado cuidar



Irradia de amor

Irradia de ternura

Contemplar o mais alto dos céus

Contigo e teu amor.



Quero enlouquecer de amor

De entrega infinita

Permanecer escondida, aí no teu coração

Como flor a perfumar a tua casa, senhor





Irradia de amor

Irradia de ternura

Contemplar o mais alto dos céus

Contigo e teu amor.



Quero cuidar de ti, curar tuas feridas

Como pétalas por no teu coração, senhor

Por todos aqueles que não o fazem

Quero fazer um castelo de sonho.



Irradia de ternura

Contemplar o mais alto dos céus

Contigo e teu amor.



Onde o amor é rei

Onde as damas são as flores

Das almas que salvarás

Porque teu amor é cheio

De semente que leva o vento

Para o teu reinado senhor.



Paula Monteiro

terça-feira, 14 de Abril de 2009



Vem sem demora para junto de mim




Senão serei como fonte seca
Que conheceu a verdadeira agua
E não sabe viver sem o verdadeiro sabor dela
Alma minha que penetra no esquecimento
Quer ser flor mas crescer na saudade
Olha meus olhos morro de amor
Morro de ausência daqueles que renegam
Quem me deu a vida
Se soubessem
Se sentissem que sem ele a vida não tem sentido
Oh pai olha para aquela que morre perante teus olhos
Vem sobre mim
Vem com a força daquela que perdeu
Que suplicio nesta vida
Se o jardim que eu anseio esta no céu
Sinto perante meus olhos
Mas não consigo aproximar
Ate ao dia que morrerei de amor


Paula Monteiro

quinta-feira, 26 de Março de 2009

sábado, 21 de Março de 2009


Como a brisa que me toca e que a carecia e tranquila
Como o calor que sinto nas minhas mãos a rastejar
Assim é o meu Amor cheio de fervor e de carinho
Pelo vosso olhar, para me cuidar.
Com a vossa luz eu me ilumino
Com o vosso cântico eu me distraio
Só vós sois o meu guia
Só vós sois a minha distracção
Como o sol que me ilumina
Eu não temerei as trevas porque estais aqui
Não necessitarei do pão
Pois tenho-vos a vos para me alimentar
Não recearei a sede
Pois vós sois a minha fonte
Que é insaciável
Sois o meu conforto na minha angústia
A minha felicidade na tristeza
Vinde para junto de mim
E nunca mais me deixareis.                                                          Paula Monteiro

Nada sou sem teu amor
Nada posso sem a tua mão perante nós
Com a tua graça eu aspiro
Pela tua misericórdia
Que seria de mim sem o teu Espírito
Nada sou, como é bom cantar
Sentir a minha fraqueza sem ti
Como é bom ver a nossa fragilidade
Que só contigo eu sou
Sem ti nada sou
Vou olhando minha vida
Sempre contigo eu caminho
Mesmo nos momentos que não te sinto
Aí és tu senhor que me conduzes
Que diriges todo o meu ser
Palavra maravilhosa, no encontro do amado
Que amor sublime, que amor belo
O pouco que te dou eu consigo vencer
Porque tu és a minha força e venço em ti
Como posso eu imaginar minha vida sem ti
Porque mesmo nas minhas fraquezas
Tu és fiel, mesmo quando eu não o sou
Oh querido amado permanece igual
Junto de mim.
Tu senhor és fiel a minha vida
Sempre serás, ensina-me a ser também
Senhor põe teus olhos e que eu seja como tu
Amado esposo adorado.                                               



  Paula Monteiro

sexta-feira, 13 de Março de 2009


Eterno amor
Esperança infinita
Sublime paz, grande és
Escondida e pequena te encontras
Mas grande és na tua majestade
Hóstia santa
Divindade, salvação eterna
Alimento que me leva
A te bendizer
Para sempre
A permanecer fiel
Vida em mim
Vida em ti
És tu senhor, és tu meu querido Jesus
Vinde e adoremos
Com cânticos de louvor
Ao nosso querido Jesus
Ao rei ao nosso salvador.

Fonte de paz e de amor
Amor divino cheia de amor
Que nos chama a acolher o seu olhar
Divina chama que contempla
O que vai no nosso ser
E não se sacia de nos chamar
Percorre o meu olhar
Neste imenso oceano
Que vagueia cada vez mais
Na distancia de alcançar
Aquilo que um dia foi sonho
E se tornar a origem de tudo.

Esperança vaga, clima ameno
Alegria no sorriso
Ternura no contemplar
Vai e percorre a imensidão do viver.

Caminha, com todas as emoções
Do teu ser.
Ama e sorri para a vida
Penetra na alegria de viver
A mais bela historia
De amor, amizade
Aquilo que Deus te deu mais belo da vida
A mais bonita existência
Penetra naquilo que o horizonte
Leva a atingir
A plenitude do teu ser.

sexta-feira, 6 de Março de 2009


Sois luz, sois amparo
Sois imensidão do mistério
Sois aquele que proclama a minha liberdade
Mas sois aquele que quero entregar-me
Para todo o sempre.
Sois sabedoria, mas também aquele que quero atingir
Minha pobre alma que anseia
Que se entrega nos teus braços a minha vida
Sois aquele que procuro
Sem parar e não encontro mais aqui
Porque não pertences a este mundo

E eu tenho que residir nele
Mas como és cheio de ternura e de amor
Desces perante esse gesto de entrega
E por isso espero por esse dia supremo
Que ambos estaremos juntos
Para todo o sempre na eternidade
Delicio-me junto de ti

terça-feira, 3 de Março de 2009

Minha vida não tem sentido sem contemplar
Oh hóstia que me contemplas
Oh beleza infinita que me olhas
E me rasgas do teu amor
Quero te encontrar e me entregar em infinito
Gesto continuo de adoração
Ser tua mais alta majestade
Unir-me aos cânticos dos pássaros
Sei que tu senhor estas presente
Por isso oh luz gloriosa
Quero ser tua esposa amada
Ser aquela que te canta cânticos
Ao som do vento
E amar, majestade suprema
Um coração coroado de tesouros
Cheias das mais belas florem que florem
Oh saudade que me quebras
Oh fogo abrasador que te elevas
Ao céu como a vela do teu altar
Assim e o meu olhar a ti meu amado
Minha alegria e te olhar e te ver unido
Céu e terra junto de mim
Não sei senhor como poderei
Te contemplar como mereces
Que lindo sois vós, que alegria
Que grande és
Grandes são as tuas coisas,
Meu viver e não resistir a ti
E me entregar nos rios do teu amor

Verdade exaltada que permaneces incógnita
Mas verdadeira imensidão da ternura
Meu sublime olhar, meu maior amparo
Escondido estais entre as flores
E brilhaste e renascestes junto ao meu coração
Tarde te encontrei mas tu me encontraste
E escondido procuramos os vales imensos do amor.
Encontrei a luz gloriosa e a paz bendita
Coração surpreendente que ardeste meu ser


Rejuvenesce a alegria de contemplar o alto daquele que irradia
O maior amparo de renascer na nova aurora
Simplesmente acredito que sois a salvação
Daqueles que te procuram em ti
Essência daqueles que te procuram
Altíssimo e repleto do amor sublime do altar
Luz irradiante do nosso ser,
Nossa força quando estamos cansados
Sois salvação daqueles que esperam em ti
Tu estas aqui perante aqueles que te acolhem
E esperas meigamente que recorramos a ti
Coração aberto e cheio de adoração
De amor aberto a espera que seja penetrada
A nova aurora da salvação

domingo, 1 de Março de 2009


Queria me deliciar nos teus braços
E ser acolhida como filha amada
Que percorre estes caminhos
O que estava perdido foi achado e renovado
Num novo nascer na aurora da esperança
No clarear dos sentidos, na alegria que tirou
Qualquer dor, qualquer solidão
Adorar-te Pai querido estar presente
O teu maior acto de amor
Que foi minha vida
Te adorar e exaltar oh perfume sublime
Quero ser o teu amor renascido
Renascer no meio das flores do teu santíssimo sacramento
Hóstia viva tesouro escondido
Amor sublime exaltar com os anjos ate aos céus

Com flores entrego a vós
De meu coração eu arranco para vós
Querida mãe do céu
Meus olhos dou minha mãe
Pois vossos eles são
Olhai para vossos filhos,
Olhai querida mãe do céu.

Vossas pétalas adorada mãe do céu,
Caíram sobre nós
Ao rezarmos o rosário
Linda mãe
Cai flores sobre vós.

Minha mãe meu amor
Entrego a vós,
Com alegria no coração
Que cantarei eternamente
Ate junto de vós,
Meu hino de amor para todo o sempre.

sexta-feira, 6 de Fevereiro de 2009


Horizonte profundo que voa, voa
Sol que irradia todo o meu ser
Ondas que vão e vem
Para junto do meu ser.
Asas que voam livremente
Espírito livre
Na imensidão do amor
Plenitude única
Na paz
No amor de Deus.
Alegria em cada pétala de flor
Luz a reluzir no olhar duma criança
Inocência do rosto
Voa, voa ate aos céus
E vive na alegria de contemplar
Os montes e seus campos
Voa, voa como o pássaro
Livre, livre, livre
Para Deus
Azul é o céu
Azul é o mar
Com os olhos eu contemplo
E a esperança percorre o meu ser.
Verde é a relva
Verdes são as árvores
Com os olhos eu contemplo
E a esperança percorre o meu ser.
Sorriso duma criança
Um olá cheio de viver
Com os olhos eu contemplo
E a esperança percorre o meu ser.
Luz que me encaminha
Que penetra no meu ser
Com os olhos eu contemplo
E a esperança percorre o meu ser.
O sol irradia com alegria
Mas meu ser esta perdido no meu eu
E insiste em penetrar
E eu, fechada no meu ser
E ele atei-ma em permanecer
Firme e fiel
Como luz do meu ser.
Bate a porta do meu coração
Teima a permanecer
De fininho penetra
Nas trinchas do meu ser.
E quando olhei reparei
Que junto de mim
Estava uma explosão
Era eu
Que deixara de existir
Para a luz
Habitar no meu ser.

Paula Monteiro

segunda-feira, 2 de Fevereiro de 2009



Contemplai o rosto daquele que tem sede de vos, contemplai a presença daquele que recorre aos vossos corações a salvação de toda a humanidade, Jesus eucarístico presente no altar, vergai perante aquele que e a vossa salvação e cura todas as enfermidades.
Salvação das almas, salvação daqueles se sentem sós, vinde ao colo daquele que sente saudades de vos abraçar.

Hóstia viva cheia de esplendor, estais, vinde para junto de mim e para junto de teus filhos, percorres os corredores da nossa vida, e tens sede de caminhar-mos contigo, muitas vezes percorres mas sozinho por que não nos encontras junto de ti, junto deste sacrários que se encontram vazios,
Jesus eucarístico, Jesus meu querido adorado sejas e exaltado, para todo o sempre, amado e adorado sejas por toda a criação que seja a natureza ate louvar ao pai criador.
Que sejam eles a te amar quando os corações dos homens não o fazem que cante o vento hinos de gloria ao salvador.
Sede submissos nos vossos corações, sede confiantes, que da cruz sairá a vossa salvação o mistério do amor derramado por toda a humanidade.
Gloria, gloria seja dada a santíssima trindade, para sempre cantem os anjos glória, gloria dia e noite não se cessem de louvar ao santíssimo sacramento
Excesso lindíssimo é senhor esplendor de toda a majestade
Gloria, gloria excelso rei supremo, meu coração explode de amor aquele que me contempla Jesus eucarístico minha salvação meu amor supremo, minhas palavras são tão poucas para aquele que precisa ser louvado e remido daqueles que não o fazem e são tantos, meu pai me mostras são tantos, poucos são aqueles que te procuram de coração aberto, senhor, senhor perdão por mim e por eles oh gloria ao santíssimo sacramento.
Amai filhinhos amai, só vos peço o amor.
Vinde adorar aquele que anseia por vos receber junto de meu coração junto das fontes da misericórdia do meu coração que sai da cruz para a vossa salvação.


Paula Monteiro
Vem Senhor esta vossa filha adorável ao vosso olhar, vinde para junto de mim, e que seja o vosso espírito derramado em mim neste momento de oração a orientar-me.
Como é bom estar aqui te contemplar, no silêncio, como é bom e doce o olhar que depositas em mim, como é doce o teu carinho, perante nós, senta-te aqui junto de mim, olhar para mim e juntos permanecermos unidos, sois pai sois amigo, sois confidente, mas acima de tudo o grande rei cheio de majestade esplendor.
Luz gloriosa que brilhas perante todos aqueles que te procuram, levas-me junto ao teu gesto de amor que é entregue por mim e por toda a Humanidade, segredas junto dos meus ouvidos suspiros de amor por todos os filhos que tens no coração.
O amor perdido por muitos que se afastam por caminhos incertos, procuram aquilo que não tem encontro, porque a salvação reside no acto do filho de Deus derramado por todos nos e na eucaristia que nos poderá salvar.
O verdadeiro encontro que está, permanece escondido em muitos mesmo naqueles que pensam que o encontraram e só praticam numa rotina.
Jesus escondido permanece a olhar para cada um de nós a espera que tenhamos sede de o encontrar, a verdadeira salvação que é Ele e não nos mesmos.
Que tenhamos sede de ver a fonte da salvação a verdadeira fonte da vida que reside em nos perante aquele que nos ama acima de tudo e nos pede a renovação e nos leva a redimir de nossos pecados.
Ele olha para nos da cruz, seu olhar reside junto de nos, se soubéssemos como ele nos contempla, e como voltaria a fazer o mesmo por todos nos, ele aponta o dedo em minha direcção e perante a cruz, ele olha para ela “sim filha por ti, porque és pecadora, eu o faria de novo filha, vem para junto de mim, deixa-me deliciar-te na fonte da salvação que é a minha infinita misericórdia”
“Confiai em mim vos que estais tristes renovai cada dia que passa a fonte da salvação que vira para a vossa purificação”

Paula Monteiro
22/1/2007 (perante o sacrário)

Olhai para os céus e contemplai no alto a grandeza do Pai, assim é seu amor por todos seus filhos que o procuram.
“Viestes ter comigo, viestes fazer-me companhia e eu derramo o bálsamo o elixir do amor no teu coração por aqueles que estão marginalizados e não encontram o sentido da vida.
Eu te encontro a olhar para o meu rosto, que olha para ti, nele encontras a tua paz, porque só a encontras quando me amas.
Eu tenho sede de almas entregues ao amor, por isso preciso tanto de ti, deixastes tudo para me contemplares e no silêncio entregaste-te a mim, muitos conduziras a encontrar-se aqui também junto de mim.
Por isso eu te chamei para juntos estarmos unidos num mesmo coração e num mesmo espírito, unidos ao Pai e a todos sacrários do mundo.
Unidos em adoração em um espírito de amor e de confiança.
Eis a era do terror, mas acima de tudo o bálsamo do amor, sacrários vivos do altar, como eu vos olho e peço que permaneceis firmes em adoração.
Lindo é ser entregue, mas mais sublime é o acto de confiança, assim foi comigo.
Conversaremos muito os dois, conversas intermináveis, dará para um livro, mas um livro interminável de essências divinas de amor por ti.
Porque um livro termina e será terminado, mas meu amor por ti, por meus filhos não terá fim, é um oceano de misericórdia.
Contempla-me não com teus olhos, mas sim com meu rosto que olha para ti, sempre com muito amor.”



Paula Monteiro



Acto sublime de amor, estar presente perante ti, meu amado encontrar-me aqui perante a tua Omnipotência, exprimir o meu sentimento que é tão pequeno perante a sua grandeza.
Amar-te, amar-te com um coração puro de entrega, e de encontro, namorar o meu esposo adorado, que está a minha espera que lhe enfeite a cruz de flores brancas.
Presença viva no meu ser, ser tua, inesgotavelmente
Ser a voz do amor, que corre para junto do teu sagrado coração é lá no cantinho me esconder, viver contigo entregue a este lindo tesouro que é ter a vida em ti para todo o sempre.


Paula Monteiro


Sois luz, sois amparo sois imensidão do mistério, sois aquele que proclama a minha li verdade, mas sois aquele que eu me quero perder para todo o sempre.
Sois a sabedoria mas também a confusão para a minha pobre alma que se sente sem saber o rumo desta vida, sois vida, mas também sois aquele que eu procuro sem parar e não te encontro mais aqui, porque não pertences a este mundo, e eu tenho residir nele, residir nele, residir neste mundo, viver para ti.
Seja qual for a tua razão eu entendo, apesar de sentir que não pertenço aqui.
Que dor funda, dor da alma, dor penetrante dor, sinto uma dor tão funda que me trespassa a alma, que faz que eu me quebre, gesto de amor, infinito, mas tão pequeno da minha parte, sinto a alma trespassada com a dor da alma, imensa dor, extrema.
Que dor, muita dor, porque será alma minha que me dois tanto, por meus pecados, ou pelos pecados do mundo que não tem tempo para te amar e te conhecer.
Se eles soubessem, como és lindo e cheio de amor, como minha alma dói, dói, mas de amor, quebra porque eu não consigo amar mais, fraca sou neste gesto meu amado, que coração tão pequeno que eu tenho, quero amar, amar por todos que não o fazem, amar, amar palavra bela, quero amar, amar, ao pai quero amar, irradia amor meu, irradia luz gloriosa da santa cruz, dói, dói, dói alma minha dói.
Meu irmão, meus irmãos ainda reside luz para pedir por eles meu amado, por Luís e Diego mas dói, dói, a alma, o coração é sugado pelo acto de amor vivido em mim.
Arrebenta de dor, arrebenta de imensa entrega, quem sou eu meu amado?
Quem sou eu, sinto me tão só, paizinho, paizinho, paizinho, dói, dói mãezinha dói como é doce as dores, as dores como são doces as dores da cruz, como são doces aos olhos de
quem ama perante a luz gloriosa, como são doces as chicotadas das daquele que sofre perante gesto sublime de adoração.
Paizinho, paizinho, será que eles sabem o que fazem? Será paizinho, misericórdia meu Pai, misericórdia, Pai, Pai, Abba, Pai ai dói, dói, como dói, dói imenso mas o amor, o amor, amor, quero amar, amar, amar, irradia luz gloriosa, paz suave do bálsamo da cruz, senhor, senhor quem sou eu?
Sereis tu senhor, ou serás tu em mim, serei eu em ti, ou tu em mim, seremos juntos
Sim juntos pois tu estas em mim e eu em ti.
Ergue-te santa cruz, pela igreja derrama o bálsamo do amor por aqueles que não querem, dói, dói como dói.
Já nem escrever consigo, já nem escrever consigo, dor da alma, fogo ardente, fogo purificador, brisa como irradia a brisa…

Eu quero falar eu sinto necessidade de contemplar o que a minha mente me leva a vaguear, sinto necessidade de falar de algo que explode no meu ser, tenho sede da palavra que irradia do meu ser daquele que no alto me contempla com seu olhar misericordioso.
Tenho sede de amor, de contemplar o rosto do Pai carinhoso, que nos abre as suas portas, as portas de amor e de justiça e de alegria, em ti pai querido quero me entregar no teu colinho, e juntos permanecer neste resgate de amor pleno.
Assim quero estar junto de nossa querida mãe que nos contempla com o seu rosto de mãe terna que nos leva aos pés de seu amado filho.
Estamos junto dela, estamos juntos a Jesus, ela é a chave do coração do pai e de seu amado filho, cheio de perdão e de infinita misericórdia derramada para a remissão dos nossos pecados e para a purificação das almas e do resgate da verdadeira purificação.
Maravilhas são derramadas perante esse acto de amor através do coração imaculado daquela que se entregou de coração puro perante a humanidade, as bênçãos derramadas por toda a humanidade através da intercessão daquela que olha aos nossas orações e as contempla e as leva de coração pleno de alegria as nossas suplicas, ela aquela que esteve presente as nossas aflições aquela que nos acolhe e nos ajuda a confiar cada vez mais e plenamente no amor do pai, ela que escutou a voz do Pai, e se entregou sem reservas e sem receios, sempre cheia e repleta do espírito santo da divina providencia, ela que se entregou sem reservas, sempre confiante no Senhor, assim queremos nos também estar presentes esse acto de amor sublime e repleto de entrega perante os nossos caminhos desta vida.
Mistério divino do amor e da entrega, salvação nossa quero me entregar nos teus braços carinhosos, toma minha vida, profundamente me entrego a tua divina misericórdia, quero me entregar ao teu coração e contemplar junto de nossa querida mãezinha, contemplar o teu divino rosto e permanecer junto dele para todo o sempre.
Hóstia viva o senhor me leva a contempla-la e a comunga-la ele esta repleto de amor por todos nos ele tem sede de salvar-nos.
Contemplo o anjo da eucaristia que nas suas mãos traz o cálice da salvação, vinde filhos perante o acto de salvação da humanidade, vinde comungar a salvação, o sangue da purificação e da remissão dos pecados do cordeiro que deu a vida para a vossa salvação.
Choro, minha alma chora, sinto tristeza, sinto abandono na casa do Pai, onde estais filhinhos, que abandonam a casa do pai, onde estais.
Meu pai, perdão eu te peço perdão por aqueles que não acreditam e por mim mesma, por todos momentos que me ausentei do teu divino amor, perdão, acolhe minhas suplicas por todos aqueles que não o fazem, perdão, meu pai,
Contemplo o sacrário irradiado de luz, que acolhe o altar onde é entregue por amor todos os momentos, para a nossa salvação.
Tenho sede da intimidade daquele que me chama e pede que amanse seu coração para que ambos estejamos unidos e derrame o bálsamo do amor por todas feridas entregues por todos nos através da nossa ausência.
Misericórdia perante nós senhor, minha boca não se sacia perante sublime gesto de entrega


Paula Monteiro